24 de fevereiro de 2017

Medo do medo

Este mês, aderi a um desafio lançado pela Joana do blog Cor Sem Fim chamado A Cultura Mora Aqui. Com este desafio, ela pretende mostrar que há mais sobre o que escrever além de beleza, moda e maquilhagem, e eu identifiquei-me logo com essa ideia. Todos os meses o grupo base cria um tema diferente e cada um dos participantes adapta-o ao seu próprio blog. 
O tema deste mês era escrever sobre sentimentos e emoções e eu escolhi falar sobre o medo, por ser algo que tenho tentado compreender melhor de há uns tempos para cá.
O medo é uma emoção primária. Tem a função de proteger e é essencial à nossa sobrevivência. Acontece que, mal gerido, impede-nos de concretizar muito do nosso potencial, limitando-nos.
 
Todos nós temos “medos de estimação”, medos irracionais cuja explicação nem sempre encontramos. Esses são os mais difíceis de gerir. Eu, por exemplo, tenho medo de conduzir em autoestradas, de falar para muita gente, de meter a cabeça debaixo de água, e poderia continuar por aí fora. 
Na maioria das vezes estes medos não nos prejudicam muito, mas há alturas em que o medo nos impede de fazer escolhas necessárias a uma vida plena, e esses é importante reconhecer, aprender a viver com eles e a ultrapassá-los. Porque quando o medo não advém de uma ameaça real, é sobretudo motivado por insegurança, vergonha, traumas, ou questões mal resolvidas, debilitando a nossa auto-estima. E, assim, o medo que tem a função primordial de nos manter em segurança, acaba por nos impedir de concretizar o nosso potencial, simplesmente porque não o conseguimos compreender e ultrapassar. 
Naturalmente, ao longo da vida, fomos acumulando experiências que mesmo inconscientemente, nos ajudam a lidar com as dificuldades que se apresentam diariamente. As mesmas, podem ser usadas para nos ajudar a combater os medos que nos impedem de sermos pessoas mais felizes e realizadas.  

Pensar positivo : Mudar a forma de pensar, acreditando que há uma solução. Perceber claramente o que há a ganhar ultrapassando o medo e listar tudo o que vai melhorar quando o conseguirmos enfrentar e seguir em frente. 
Enfrentar o medo em pequenas doses : Nalguns casos pode ser realmente difícil uma exposição total à situação temida. Mas, se calhar, esse medo pode ser ultrapassado em pequenas doses.  
Valorizar as nossas qualidades e conquistas : Recordar outras situações de medo e de que forma foram ultrapassadas. Perceber que o que se imagina é sempre pior que a realidade. Criar mecanismos de incentivo, baseados nas nossas qualidades reais. Celebrar de cada vez que se enfrentou uma situação difícil. Desvalorizar quando se falha, perceber que se aprendeu algo e que da próxima será melhor.
Pedir ajuda : os nossos amigos estão cá (também) para isso! São as nossas pessoas das coisas boas e não só, conhecem-nos melhor que ninguém. Por isso conseguem acalmar parte dos nossos receios, dar-nos uma perspectiva diferente e apoiar as nossas tentativas. Em última análise, tudo é mais fácil com um amigo por perto.

E resulta (podem perguntar)? Não é uma formula mágica que resolve tudo, mas a mim ajuda-me. O importante é ter vontade de vencer o medo (seja do que for) e não desistir.  




Caso tenham curiosidade, ou vontade de se juntar a esta iniciativa é só enviar um email para corsemfim@gmail.com.




Outros blogues aderentes: InspiringKarina PinhoMiss MangaA Bela, Não a Fera


4 comentários:

Inês Martins disse...

Sem dúvida que há momentos em que o medo nos impede de passar por algumas experiências, sobretudo o medo do desconhecido, mas às vezes sabe muito bem arriscar!

Gostei imenso do teu post. Beijinhos,
inesmartinsxx.blogspot.pt

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Obrigada. É importante perceber o que arriscamos, e ganhar algum conforto com isso. Perceber sé o medo que sentimos em relação ao "desconhecido" faz ou não sentido, e decidir a partir daí. bjs

Beatriz Lourenço disse...

Concordo muito com o que disseste no início e é algo que costumo dizer aos meus amigos: o medo é bom, desde que não deixemos que ele nos domine e impeça de fazer coisas. Gostei muito do post e gostei muito das dicas que partilhaste, acho que são fundamentais! Bem-vinda ao ACMA!

Um beijinho,
Bia do Bookaholic.

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Obrigada Bia, bjs
Adoro o nome do teu blogue!